Tagged: c4eva

xg4-c4eva-dump-le-premier-jeu-xbox-one-cod-ghosts

Ninguém menos do que o principal hacker da scene Xbox (sim ele vem desde o Xbox 1), C4eva fez o primeiro dump de um jogo de Xbox One, O escolhido foi o Call of Duty Ghosts. O novo padrão, XGD4 (Xbox Game Disc 4), agora em Bluray, tem as características reportadas abaixo:

c4eva Spoke! (2013-11-16 #fw)

[2013-11-16 12:39AM UTC] #fw <c4eva> first xbone disc dump completed! Ghosts 47Gb! XG4 cometh!

[2013-11-16 03:41AM UTC] #fw <c4eva> XG4=XboxGamedisc4 – Bluray Disc Type Identifier from PIC (Permanent Information and Control data zone) on the disc!

[2013-11-16 05:52AM UTC] #fw <c4eva> cod ghosts psn layer 0 start/end: 0x 00100000/00ad7f1e

[2013-11-16 05:52AM UTC] #fw <c4eva> (00ad7f1e-00100000) 1=9d7f1f sectors *0800=4ebf8f800 (21,138,831,360 bytes)

[2013-11-16 05:53AM UTC] #fw <c4eva> cod ghosts psn layer 1 start/end: 0x 015280e0/01effffe

[2013-11-16 05:53AM UTC] #fw <c4eva> (01effffe-015280e0) 1=9d7f1f sectors – same as layer 0

[2013-11-16 05:53AM UTC] #fw <c4eva> *0800=4ebf8f800 (21,138,831,360 bytes)

[2013-11-16 05:54AM UTC] #fw <c4eva> = Total Disc 42,277,662,720 bytes

[2013-11-16 05:58AM UTC] #fw <c4eva> the disc is made up of one metadata folder with some pics and one package1.xvc file of 41,285,020 KB length

[2013-11-16 06:00AM UTC] #fw <c4eva> yes!

 

Vale sempre lembrar que tão importante quanto o desbloqueio em sí é ter o que rodar nele! Esse é o primeiro passo.

Xbox 360 FAT e SLIM

 

Vou tentar sem bem objetivo pois hoje há uma diversidade de opções o que acaba deixando o consumidor muito confuso.

XBOX 360 FAT

(são os consoles fabricados do lançamento até março/abril 2010):
 

Destrave do drive de DVD: permite rodar seus backups em DVD direto do drive. Acesso a Live é possível, sabendo dos riscos. É possível também, quando existe um HDD original instalado no console, fazer o a “instalação” (cache) dos jogos no mesmo mas o DVD é preciso estar na bandeja para o jogo ser autenticado. Custo, R$ 60,00

Destrave para usar HDD Externo (RGH/JTAG): permite rodar seus backups presentes num HDD Externo ou no interno também. É feito o processo chamado Reset Glitch Hack (RGH/JTAG), conhecido como desbloqueio por chip. Não é possível usar a Live e jogar entre consoles somente pela Xlink Kai (jogos com System Link). O drive de DVD não é destravado (salvo se solicitado à parte). Custo: se o console estiver com dashboard abaixo da 2.0.14719, R$ 190,00. Acima desta revisão, R$ 250,00. HDD não fornecido. Se desejar o destrave do drive de DVD, acrescente R$ 60,00


XBOX 360 SLIM

(são os consoles fabricados do maio de 2010 até o momento):
 

Destrave do drive de DVD: permite rodar seus backups em DVD direto do drive. Acesso a Live é possível, sabendo dos riscos. É possível também, quando existe um HDD original instalado no console, fazer o a “instalação” (cache) dos jogos no mesmo mas o DVD é preciso estar na bandeja para o jogo ser autenticado. Custo: para consoles fabricados até agosto de 2011 (essa data pode variar um pouco, chegando até novembro de 2011), com os drives LiteOn DG-16D4S (revisões de firmware 0225, 0272, 0401, 1071 e 9504), R$ 150,00 . Para os demais drives, LiteOn DG-16D5S e Hitachis DL10N 0500/0502, R$ 290,00

Destrave para usar HDD Externo (RGH/JTAG): permite rodar seus backups presentes num HDD Externo ou no interno também. É feito o processo chamado Reset Glitch Hack (RGH/JTAG), conhecido como desbloqueio por chip. Não é possível usar a Live e jogar entre consoles somente pela Xlink Kai (jogos com System Link). O drive de DVD não é destravado (salvo se solicitado à parte). Custo: se o console estiver com dashboard abaixo até a 2.0.14719, R$ 190,00. Acima desta revisão, R$ 250,00. HDD não fornecido. Se desejar o destrave do drive de DVD, acrescente R$ 150,00.


Para saber mais sobre cada destrave consulte os links abaixo:

http://www.asapreta.com/xbox-360/destrave-xbox/

http://www.asapreta.com/xbox-360/desbloqueio-reset-glitch-jtag/

http://www.asapreta.com/2013/04/08/xbox-360-novo-destrave-possivel-para-os-consoles-fabricados-em-2012-ou-com-drives-liteon-1175-ou-1532/

http://www.asapreta.com/2013/03/28/xbox-360-escolha-o-melhor-destrave-para-o-seu-xbox-360-slim/

http://www.asapreta.com/2012/11/10/xbox-360-instalando-jogos-no-hd-interno-ou-externo-para-consoles-rgh-ou-jtag-guia/

 

 

 

 



Nota: as informações postadas em nosso blog sempre refletem a condição existente na época da postagem, garantida pela data original de sua publicação. Nem todos os posts são atualizados constantemente, logo prevalecerá a informação mais recente a cerca dos dados, preço, produto, etc. mencionados em posts posteriores.
 

CryptoCOP AddON

Através de uma jogada de mestre o pessoal do TEAM MATRIX conseguiu criar uma solução para os drives que não os DG-16D4S (0225, 0272, 0401, 1071 e 9504) do Xbox 360 slim (principalmente os fabricados depois de agosto de 2011): o Matrix Crytocop Add-On.

O Add-On é uma placa extra que quando conectada a Matrix Freedom Lite PCB (MTX 007) permite o uso do primeiro destrave não “iXtreme” para Xbox 360 em consoles SLIM. Este novo Firmware, desenvolvido pelo Matrix também é “Live Safe”* permitindo que você jogue os seus backups online, tal qual se fazia nos destraves das versões anteriores do Xbox 360.

E claro, como não poderia deixar de ser, o preço passou a ficar muito mais convidativo do que a solução do concorrente.

Já vou disponibilizar este destrave por R$ 290,00

Fonte: http://www.facebook.com/MatrixTeamBrasil/posts/447247708683592

* nunca é demais lembrar que a despeito do CFW ser Stealth e não reconhecido pelos servidores da Live, o seu console, mesmo assim, poderá ser banido por situações terceiras que não da nossa resposabilidade

16203

 

Sem maiores detalhes sobre o que foi realmente atualizado, a Microsoft liberou a atualização 2.0.16203.

Como sempre se pede cautela a todos que tem consoles destravados (por firmware, dualboot, ODDE, etc) mas os primeiros “reports” apontam que tudo está OK. Consoles com dualboot continuam funcionando mesmo com a dash retail atualizada, ODDE`s também, a extração das informações dos consoles com o DGX continua funcionando e que consoles destravador via firmware iXtreme também nada sofreram.

surpresa_matrix_team

 

Que surpresa será essa que o Matrix Team está aprontando? Tudo aponta para uma solução para o drive LiteOn 1175, como eles postaram em seu Facebook mais cedo: http://www.facebook.com/MatrixTeamBrasil/posts/422825887792441

 

Qualquer novidade eu posto aqui!

1175broke.

 

A espera foi longa e tenho recebido várias mensagens e telefonemas de clientes com dúvidas sobre como é o destrave para os seus consoles (principalmente os Xbox 360 fabricados de agosto de 2011 em diante) direto no drive de DVD que permitem até jogar online (sempre por conta e risco).

Vou tentar trazer de uma forma simples como é o todo o processo que deve esclarecer essas dúvidas.

O QUE É PRECISO PARA O DESTRAVE FUNCIONAR?

 

Basicamente uma PCB (Printed Circuit Board – placa de circuito impresso) compatível com a controladora do drive a ser destravado e também com o firmware iXtreme LTU. Este último com a DVDKEY do seu console e outras informações importantes já programadas. No momento a única PCB disponível é a bem carinha do Team Xecuter:

LTU_PCB_White

Uma nota: a foto mostra uma placa branca mas a atual disponibilizada é verde como a original

COMO A PCB É UM HARDWARE COMPRADO RESTA SABER COMO SE OBTÉM OS DADOS MENCIONADOS PARA O IXTREME?

Aqui que reside boa parte da dúvida dos clientes. Diferentemente de todos os drives até então lançados para o Xbox 360 (Phat ou Slim) onde sempre foi possível ler essas informações diretamente do drive,  com ou sem alguma intervenção no hardware deles, os novos drives, até onde os desenvolvedores conseguiram pesquisar, isso não é possível. Sendo assim só restou uma forma de conseguir essas informações, o outro lado do pareamento da DVD-KEY: a placa-mãe do console, mais precisamente na sua NAND.

 

COMO É PRECISO LER A NAND DO APARELHO, ENTÃO O MEU CONSOLE VAI SER DESTRAVADO POR JTAG/RGH?

Não. O processo será preciso para a extração dos dados necessários mas o RGH é removido e para o console é como se nunca tivesse sido feito.

COMO ASSIM? É REMOVIDO? O CONSOLE FICA COMO ESTAVA ORIGINALMENTE?

Isso mesmo. A única alteração que teremos no final do destrave é a PCB LTU no drive. Vamos a uma explicação mais detalhada porém sem complicar com termos técnicos.

A essência do desbloqueio que permite o uso da Live é que o console esteja sem alterações. É por isso que se diz que o iXtreme é um destrave que passa de forma invisível ao console e aos servidores da Live. A outra ponta desde desbloqueio está na “originalidade” dos backups usados mas isso é assunto já abordado na checagem via ABGX360.

matrix_spi

Matrix SPI NAND Programmer

Para conseguir ler as informações necessárias a serem usadas no iXtreme LTU precisamos além de uma cópia da NAND, para a extração dos arquivos – o que pode ser facilmente obtido através da leitura da mesma direto na placa do console através de um hardware conhecido como programador de NAND. Contudo o conteúdo arquivo lido (que deve ser bem verificado de forma a garantir a sua integridade) só pode ser explorado com uma “senha”. Esta senha é a CPU-KEY.

 

xell_baixa

 

Aí que a coisa muda de cena. Para se conseguir a CPU-KEY é preciso rodar o XeLL (Xenon Linux Loader) – um bootloader. Ao executá-lo além de várias outras informações, a CPU-KEY é exposta. O XeLL mais famoso no momento é o da tela acima, o XeLL Reloaded.

COMO RODAR O XELL ENTÃO?

Sem entrar na particularidade de cada placa-mãe hoje disponível para os Xbox Slims (existem cinco delas) com seus diferentes procedimentos de instalação, pontos de solda (ou ausência deles) ou versão da dashboard do console instalada (o procedimento muda se a dashboard for superior as 2.0.14719.0) o que será preciso é de um arquivo especial (resumidamente o .ECC) gravado na NAND no lugar dos dados originais do aparelho, por isso é super importante que a leitura da NAND seja feita de forma segura e com backups verificados e de um chip para “glitch”.

Quando a dashboard é inferior ou igual a 2.0.14719.0 o chip usado pode ser qualquer um para glitch, como por exemplo o Matrix Glitcher II Rev.C já várias vezes demonstrado aqui no blog. Se a dashboard for superior é usado um outro chip, dedicado, com uma instalação toda “particular”.

Quando o console carrega o XeLL uma tela azul como a que está mais acima é mostrada e aí podemos ter acesso a CPU-KEY e com ela coletar as informações da NAND lida anteriormente. As imagens a seguir são apenas ilustrativas, uma inclusive nem é de console slim. Demonstram o conteúdo de uma NAND sem a CPU-KEY (nada é exibido além da mensagem de BADKV) e a outra mostra o conteúdo, as informações do console à mostra:

NAND com CPU já lida - exibe os dados do console

NAND com CPU já lida – exibe os dados do console

NAND sem a CPU-KEY, dados não podem ser exibidos

NAND sem a CPU-KEY, dados não podem ser exibidos

Dados lidos agora é extrair o que se precisa para o iXtreme LTU e programar a PCB com essas informações.

A NAND original do aparelho é reprogramada de volta no aparelho, apagando o arquivo (.ECC) que permitiu a execução do XeLL e como nada foi mexido nela, a originalidade do console está garantida.

ENTÃO O PROCESSO PASSA PELO RGH MAS NO FINAL DAS CONTAS É COMO SE NUNCA TIVESSE SIDO MEXIDO?

Isso, se não fosse a LTU PCB dentro do drive, desbloqueando-o, é como se nada tivesse sido mexido.

Em resumo o que é feito:

- Instalação de um NAND PROGRAMMER para leitura e backup da NAND original do console;
- Programação através do mesmo NAND PROGRAMMER do arquivo para subir o XeLL;
- Instalação do chip para GLITCH;
- Obtenção da CPU-KEY via XeLL para “abrir” o conteúdo da NAND;
- Extração dos arquivos necessários + DVD-KEY para programação do iXtreme LTU;
- Reprogramação da NAND original;
- Gravação do iXtreme LTU na LTU PCB;
- Substituição da PCB original pela LTU no drive do console.

Em linhas gerais é isso. O processo agora é bem mais trabalhoso, se passa por várias etapas e já não é tão rápido (depende do console podemos levar horas para obter a CPU-KEY, principalmente quando a dashboard está acima da 2.0.14719.0), em muitos casos inviabilizando a entrega no mesmo dia do aparelho ao cliente.

Espero ter sanado as dúvidas de muitos e aguardo os seus comentários ou questionamentos.