Tagged: 0500

Xbox360_kinect
Hoje em dia os consoles Slim tem três tipos de desbloqueios possíveis, independentemente da versão da placa mãe do console, drive ou versão da dashboard do sistema. Que são eles:

Destrave “nativo” do drive de DVD – com acesso à Live:

Para consoles com drive LiteOn 16D4S (console com fabricação de Maio/2010 até Agosto/2011) é possível o desbloqueio via software (iXtreme LT+ 3.0) através de uma pequena intervenção na placa lógica do drive (PCB) ou a base de troca. Vale lembrar que neste período também há os drives Hitachis (0500 e 0502) que são destravados pelo método abaixo;

Para consoles com drive LiteOn 16D5S (console com fabricação de Agosto/2011 em diante ou Hitachis (0500/0502) é necessária a troca da sua PCB (placa lógica de controle) + iXtreme LTU: Este desbloqueio é o equivalente ao que se fazia nos consoles mais antigos onde era possível efetuar apenas o desbloqueio via “software”, porém as mudanças da placa lógica impedem a intervenção em seu hardware, sendo necessária, obrigatoriamente a substituição (sem base de troca) da mesma. Veja mais detalhes em: http://www.asapreta.com/2013/02/03/xbox-360-explicando-o-destrave-ltu-como-e-o-destrave-para-os-drives-liteon-11751532-e-hitachi-05000502/

Destrave do drive de DVD via “spoof da PCB” – sem acesso à Live:
 
Todo Xbox 360 Slim é passível do desbloqueio via RGH (Reset Glitch Hack) ou mais conhecido por desbloqueio por “chip” ou para jogar via HDD (interno ou externo). Com esse desbloqueio as portas do console se abrem e podemos, por exemplo, dizer para o console “ignorar” a identidade do drive de DVD que está conectado nele, portanto, podemos desbloqueá-lo sem a necessidade de manter a paridade do modelo, através, por exemplo, da troca da PCB do modelo DG-16D5S pela do seu antecessor DG-16D4S. Esse desbloqueio foi muito comum antes do começo de 2013 com o surgimento da PCB nativa para os drives DG-16D5S e Hitachis.
Na verdade com esse processo passa-se a ter dois desbloqueios em um, o RGH + PCB, pode-se jogar tanto pelo drive de DVD com games alternativos, bem como por um HD, com as imagens convertidas dos games.
O único revés, se assim podemos dizer, é que diferentemente do desbloqueio nativo, não é possível jogar pela Live, online.

Destrave via “CHIP”, Reset Glitch Hack (RGH) para jogar por HDD – sem acesso à Live:
 
Como mencionado acima, é um desbloqueio que abre as portas do console mas não desbloqueia o drive de DVD, fazendo-se valer do uso de um HDD (normalmente não fornecido no desbloqueio) interno ou externo para rodar as imagens (ISOS) dos jogos convertidas.
Como o assunto é interessante e merece uma explicação mais completa, recomendo as seguintes leituras:

1175broke.

 

A espera foi longa e tenho recebido várias mensagens e telefonemas de clientes com dúvidas sobre como é o destrave para os seus consoles (principalmente os Xbox 360 fabricados de agosto de 2011 em diante) direto no drive de DVD que permitem até jogar online (sempre por conta e risco).

Vou tentar trazer de uma forma simples como é o todo o processo que deve esclarecer essas dúvidas.

O QUE É PRECISO PARA O DESTRAVE FUNCIONAR?

 

Basicamente uma PCB (Printed Circuit Board – placa de circuito impresso) compatível com a controladora do drive a ser destravado e também com o firmware iXtreme LTU. Este último com a DVDKEY do seu console e outras informações importantes já programadas. No momento a única PCB disponível é a bem carinha do Team Xecuter:

LTU_PCB_White

Uma nota: a foto mostra uma placa branca mas a atual disponibilizada é verde como a original

COMO A PCB É UM HARDWARE COMPRADO RESTA SABER COMO SE OBTÉM OS DADOS MENCIONADOS PARA O IXTREME?

Aqui que reside boa parte da dúvida dos clientes. Diferentemente de todos os drives até então lançados para o Xbox 360 (Phat ou Slim) onde sempre foi possível ler essas informações diretamente do drive,  com ou sem alguma intervenção no hardware deles, os novos drives, até onde os desenvolvedores conseguiram pesquisar, isso não é possível. Sendo assim só restou uma forma de conseguir essas informações, o outro lado do pareamento da DVD-KEY: a placa-mãe do console, mais precisamente na sua NAND.

 

COMO É PRECISO LER A NAND DO APARELHO, ENTÃO O MEU CONSOLE VAI SER DESTRAVADO POR JTAG/RGH?

Não. O processo será preciso para a extração dos dados necessários mas o RGH é removido e para o console é como se nunca tivesse sido feito.

COMO ASSIM? É REMOVIDO? O CONSOLE FICA COMO ESTAVA ORIGINALMENTE?

Isso mesmo. A única alteração que teremos no final do destrave é a PCB LTU no drive. Vamos a uma explicação mais detalhada porém sem complicar com termos técnicos.

A essência do desbloqueio que permite o uso da Live é que o console esteja sem alterações. É por isso que se diz que o iXtreme é um destrave que passa de forma invisível ao console e aos servidores da Live. A outra ponta desde desbloqueio está na “originalidade” dos backups usados mas isso é assunto já abordado na checagem via ABGX360.

matrix_spi

Matrix SPI NAND Programmer

Para conseguir ler as informações necessárias a serem usadas no iXtreme LTU precisamos além de uma cópia da NAND, para a extração dos arquivos – o que pode ser facilmente obtido através da leitura da mesma direto na placa do console através de um hardware conhecido como programador de NAND. Contudo o conteúdo arquivo lido (que deve ser bem verificado de forma a garantir a sua integridade) só pode ser explorado com uma “senha”. Esta senha é a CPU-KEY.

 

xell_baixa

 

Aí que a coisa muda de cena. Para se conseguir a CPU-KEY é preciso rodar o XeLL (Xenon Linux Loader) – um bootloader. Ao executá-lo além de várias outras informações, a CPU-KEY é exposta. O XeLL mais famoso no momento é o da tela acima, o XeLL Reloaded.

COMO RODAR O XELL ENTÃO?

Sem entrar na particularidade de cada placa-mãe hoje disponível para os Xbox Slims (existem cinco delas) com seus diferentes procedimentos de instalação, pontos de solda (ou ausência deles) ou versão da dashboard do console instalada (o procedimento muda se a dashboard for superior as 2.0.14719.0) o que será preciso é de um arquivo especial (resumidamente o .ECC) gravado na NAND no lugar dos dados originais do aparelho, por isso é super importante que a leitura da NAND seja feita de forma segura e com backups verificados e de um chip para “glitch”.

Quando a dashboard é inferior ou igual a 2.0.14719.0 o chip usado pode ser qualquer um para glitch, como por exemplo o Matrix Glitcher II Rev.C já várias vezes demonstrado aqui no blog. Se a dashboard for superior é usado um outro chip, dedicado, com uma instalação toda “particular”.

Quando o console carrega o XeLL uma tela azul como a que está mais acima é mostrada e aí podemos ter acesso a CPU-KEY e com ela coletar as informações da NAND lida anteriormente. As imagens a seguir são apenas ilustrativas, uma inclusive nem é de console slim. Demonstram o conteúdo de uma NAND sem a CPU-KEY (nada é exibido além da mensagem de BADKV) e a outra mostra o conteúdo, as informações do console à mostra:

NAND com CPU já lida - exibe os dados do console

NAND com CPU já lida – exibe os dados do console

NAND sem a CPU-KEY, dados não podem ser exibidos

NAND sem a CPU-KEY, dados não podem ser exibidos

Dados lidos agora é extrair o que se precisa para o iXtreme LTU e programar a PCB com essas informações.

A NAND original do aparelho é reprogramada de volta no aparelho, apagando o arquivo (.ECC) que permitiu a execução do XeLL e como nada foi mexido nela, a originalidade do console está garantida.

ENTÃO O PROCESSO PASSA PELO RGH MAS NO FINAL DAS CONTAS É COMO SE NUNCA TIVESSE SIDO MEXIDO?

Isso, se não fosse a LTU PCB dentro do drive, desbloqueando-o, é como se nada tivesse sido mexido.

Em resumo o que é feito:

- Instalação de um NAND PROGRAMMER para leitura e backup da NAND original do console;
- Programação através do mesmo NAND PROGRAMMER do arquivo para subir o XeLL;
- Instalação do chip para GLITCH;
- Obtenção da CPU-KEY via XeLL para “abrir” o conteúdo da NAND;
- Extração dos arquivos necessários + DVD-KEY para programação do iXtreme LTU;
- Reprogramação da NAND original;
- Gravação do iXtreme LTU na LTU PCB;
- Substituição da PCB original pela LTU no drive do console.

Em linhas gerais é isso. O processo agora é bem mais trabalhoso, se passa por várias etapas e já não é tão rápido (depende do console podemos levar horas para obter a CPU-KEY, principalmente quando a dashboard está acima da 2.0.14719.0), em muitos casos inviabilizando a entrega no mesmo dia do aparelho ao cliente.

Espero ter sanado as dúvidas de muitos e aguardo os seus comentários ou questionamentos.

 

JÁ DISPONÍVEL! – R$ 390,00

1175broke.

 

Depois de uma longa espera já é possível desbloquear os drives dos consoles XBOX 360 slim fabricados com os drives LiteOn 1175/1532 (agosto/2011 e superiores) e Hitachi 0500/0502.

Com esse desbloqueio (iXtreme LTU) é possível, sabendo-se dos riscos, jogar normalmente por um backup de seu jogo e também desfrutar da LIVE!

Em poucas palavras o desbloqueio é um par entre o firmware e a placa lógica do drive que deve ser troca (a famosa PCB que tanto se comenta). As informações para se preparar o desbloqueio (DVD-KEY e outras infos) agora são mais complexas de serem  lidas (são retiradas da placa mãe do console) e com isso, pela primeira vez não oferecerei o desbloqueio direto do drive feito na hora, em frente ao cliente. Estimo precisar que o aparelho seja deixado de um dia para o outro.

*Desbloqueio já disponível! R$ 390,00. É preciso deixar o aparelho de 1 a 2 dias para fazer o destrave.

iXtreme LT+ 3.0

Como já havia anunciado, o iXtreme LT+ 3.0 para os XBOX 360 Slims, com drives 0272, 0225, 0401 e 1071 foi liberado.

Não reparem a falta do 9504 listado mas com o  LT+3.0 só faz sentido para os consoles com a dashboard 13604 ou superior (14699) o 9504 nestas dashboards é reflasheado para o 0272.

O 1175 (DG16D5S) ainda está em desenvolvimento e os Hitachis 0500 e 0502 ainda não tem previsão de que um dia verão o iXtreme.

Só mencionando que os preços para os desbloqueios e atualizações permanecem inalterados, eles independem da versão do firmware.

 

Mais uma pequena atualização do destrave dos Xbox 360 Slims. Conforme o texto incluso no pacote:

C4E s iXtreme LT+ in association with Team Jungle & Team Xecuter

Official release of the iXtreme LT+ v1.92

Better support for rare fw dumps
Further optimisation of rootkit

Support for DG-16D4S 1071

Thanks go to Team Jungle for their hard work and efforts in the development process
Thanks also go to Team Xecuter for their support to this project

A grande novidade é o suporte ao 1071, aumentando a gama de drives passíveis de desbloqueio, hoje ficando de fora somente o LiteOn DG-16D5S (A445) e o Hitachi DLN10N (0500).

Segundo as últimas informações, lotes mais recentes dos consoles XBOX 360 S (Slim) que estão chegando às lojas tem os drives LiteOn 1071 e Hitachi 0500. Isso pode demonstrar uma clara preocupação da empresa de REDMOND com o avanço dos desbloqueios no seu console visto que além desses dois drives, somente o DG-16D5S é que não tem desbloqueio.

Como também sabemos, o 1071 deve ter o seu desbloqueio liberado em breve, faltando apenas, segundo as notícias que correm no IRC, uma maior quantidade deles no mercado para justificar o seu lançamento sem um contra-ataque da M$. Talvez, apesar de aparentar ser uma notícia terrível, ela pode desencadear o desbloqueio do Hitachi 0500 que, por parecer uma agulha no palheiro, não tem recebido a atenção dos hackers, que sempre aguardam uma quantidade maior de unidades no mercado para liberar o destrave. Claro que neste último teríamos então a justificativa de se iniciar os trabalhos nele.

Os lotes encontrados são:

1119X LOT todos têm um liteon 1071
1118X LOT todos têm um liteon 1071
1123X LOT todos têm um liteon 1071
1102x LOT todos têm um Hitachi 0500

Uma boa notícia, confirmada pelo Team Xecuter e o Team Jungle é que 90% dos drives 1071 tem o controlador MXIC.

Eu particularmente não esbarrei com nenhum 1071 mas já com uns três Hitachis.Vamos ver como o cenário se desenrola daqui para frente.